Destranquei a porta
Sim, meio sem querer
Mas também querendo

Não sabia nada do fora
Se calor ou frio, se dia ou noite
Mas mesmo que advinda do sol ou da lua
Quem sabe não haveria luz?

Destranquei a porta
Embora receosa, forçei a chave
Já tão gasta pelo tempo
Que ruía ao contornar

E toquei meu rosto em sua solidez
Arriscando ouvir os sons de fora
Pareciam estrondos de vida
Mas isto pelo lado de dentro

Destranquei a porta
E entre eu e a porta
Um mundo novo lá fora
Parecia se impor e recolher

E tocastes no trinque
Não mais do que isto
Sem alento suficiente para gira-lo
Afinal, o que haveria ali dentro?
Quantas outras portas?

Mas destranquei a a porta
E confesso que gostei
Mesmo que contigo não o tenha sido
Vou seguir com ela apenas fechada

Um comentário:

  1. Ficou bom isso, hein?
    Mesmo!

    Beijos pra ti guria!

    ResponderExcluir